TRF-4 decidirá outra condenação de Lula (Juíza Gabriela: 12 anos). PT alegando parcialidade em 3…2…1…

 

Uma narrativa escorrendo pelo ralo

A narrativa petista/psolista de que Lula é a “virgem no puteiro” da corrupção nacional implantada pelo próprio PT fica cada vez mais difícil de ser sustentada. Na última tentativa de “virar a mesa”, uma legião de “múmias jurídicas” foi contratada para, vergonhosamente, tentar acusar Sérgio Moro do improvável: ter conversado com colegas sobre o processo.

Nem vamos entrar no mérito, mas num STF onde Gilmar Mendes virou uma espécie de “comentarista esportivo” de casos não julgados, seguido por Lewandowsky, chega a soar uma piada a afirmativa de que juízes estão proibidos de “emitir opinião”, pois seria “adiantar o julgamento”.

Mas vamos colocar numa esquete cômica:

 

– Senhor Gilmar, Vossa Excelência ADIANTARIA sua opinião sobre esse caso do Sérgio Moro?

– Sim, senhora repórter da #globolixo: o ato de Moro ADIANTAR sua opinião o torna parcial.

– Obrigado por ter ADIANTADO a sua, senhor ministro.

– Conte sempre comigo !

 

Na terra da piada pronta, nem os esquerdistas  acreditam no que suas próprias bocas defecam.

 

Crônica do desespero dos demônios

 

O problema é que em breve teremos outra condenação de Lula em segunda instância, onde a juíza Gabriela Hardt (“se o senhor começar nesse tom comigo…”) foi responsável pela sentença. E aí todos os milhões investidos em Hackers, na compra da “opinião técnica dos especialistas” de estrelas do mundo jurídico terá sido em vão. Pois a condenação não envolve Moro.

Questionado sobre o processo, disse Leandro Paulsen, desembargador do TRF-4:

 

“Não temos razão nenhuma para atropelar ou para retardar [o julgamento]. Será no tempo adequado, assim que nos sentirmos seguros, após a análise do processo como um todo. É possível que ocorra no segundo semestre deste ano, dependendo de o processo estar pronto para ser julgado”, 

 

E, em algum lugar do inferno dos esquerdistas, os demônios marxistas pulam sobre brasas em terrível rebuliço, enquanto o tic-tac do juízo final se aproxima de suas cabeças…

 

Tic…tac…tic…

– Vamos contratar mais “especialistas da Folha”, diz um demônio. – Já pagamos todos, diz outro…

Tic…tac…tic…

– Vamos investigar a vida dessa juíza, achem qualquer coisa ! – Já tentamos, ela não tem vida social, lamenta outro vermelho chifrudo.

Tic…tac…tic…

 

E o desespero cresce, ante o ranger de dentes e a maquinação infernal, cada vez mais inócua, dos encardidos avermelhados…

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é católico apostólico romano, advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: