STF A SERVIÇO DO CRIME: Uma vergonha nacional.

O que assistimos ontem foi o sepultamento de uma instituição que jogou no lixo o último resquício de confiança que algum brasileiro tinha na Justiça. O que está claro é que o crime organizado continuará a ser privilegiado nas mãos de um tribunal que até julga com correção, mas apenas para os mortais. Os grandes criminosos, seguem intocados. E assim permanecerão.

Para quem não entendeu, com a decisão de ontem, todas as sentenças que levaram poderosos para a cadeia (Lula, inclusive) poderão ser anuladas. Ladrões, corruptos, corruptores, que destruíram o Brasil, irão para rua, rir do povo. Essa é a “justiça” do STF. Uma vergonha, que apenas demonstras que AS INSTITUIÇÕES NÃO FUNCIONAM NO BRASIL, HÁ TEMPOS. VENDIDAS QUE ESTÃO PARA O CRIME ORGANIZADO.

O que se espera de uma Justiça aparelhada por anos pela maior organização criminosa do mundo?

É necessário um expurgo. Ou o Senado toma vergonha na cara e faz o impeachment de alguns membros, que há tempos estão sendo denunciados, ou o Brasil permanecerá refém da criminalidade. Da alta criminalidade, representada pelos “intocáveis”, bem como a baixa criminalidade, que se inspira na primeira e enxerga justificativa para seus atos, ante o sentimento de impunidade geral.

É preciso ter coragem. Certamente teremos um choque, um grave conflito entre instituições, pois é de duvidar que os “Deuses do Olimpo” encastelados no STF irão ser enxotados de lá por meio de impeachment. Certamente inventarão qualquer “inconstitucionalidade”, julgarão em causa própria (ou proibirão o Senado de julgá-los). Mas o fato é que decisão de impeachment do Senado É INQUESTIONÁVEL. De modo que se prevê um impasse que possivelmente será superado na base do “soldado e cabo”.

Porém, não há outra solução, ou se faz uma reforma do STF, ou permaneceremos reféns do crime. E, após este golpe contra os brasileiros, e com a mais que provável resistência dos “Deuses do Olimpo” contra seu impeachment, a única solução, infelizmente, será apelar para a Constituição, em seu artigo 142:

Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

(e desrespeitar uma decisão de impeachment do senado, algo que certamente ocorrerá, é VIOLAR A LEI E A ORDEM)

Não se trata de pessimismo, mas é de duvidar-se que aqueles que estão encastelados no poder irão abdicar dele, mesmo que levem o país para o abismo. O julgamento de ontem, apenas demonstrou isso. Eles não tem limites.

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: