Revolta. Prof. demitido após obrigar estudo sobre “ditadura”. Detalhe, era Prof. de educação física…

 

O nível de ridículo da esquerda parece não ter limites, desta vez a mídia lacradora “Carta Capital” (podia mudar para “Das Kapital”), acusa uma prefeitura de “perseguição política” a um “inocente” e “isento” professor, apenas pelo fato de que ele teria obrigado seus alunos a tomar parte num trabalho que acusava os governos do regime militar de “torturadores” ao mesmo tempo em que glorificava a esquerda...

Detalhe, o cidadão era um professor de educação física… Outro detalhe é que o isento professor é filiado ao PSOL e havia se candidatado a prefeito pelo partido naquela cidade (Itapema – SC).

Segundo relato dos pais, o texto era pesado para a faixa etária dos jovens, bem como continha palavrões. Além, claro, de um forte viés ideológico, no qual os militares eram retratados como vilões, e Lula, Dilma, e sua turma, elevados à categoria de “heróis nacionais”…

Desnecessário dizer que a não renovação do contrato do professor foi alardeada pela esquerda como uma “perseguição política”. Em outras palavras, nossos filhos podem ser perseguidos politicamente em suas escolas, atráves da imposição da narrativa esquerdista, e se exigimos profissionalismo e isenção, somos “perseguidores”…

“Tá sertu…”.

 

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é católico apostólico romano, advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: