Quem foi (e o que fez) Ricardo Boechat. Uma verdade incômoda e os demagogos da Direita.

“Demagogia conservadora” ?

Nada mais me enoja que demagogos, sejam eles de Direita ou de Esquerda. Demagogo, por definição é aquele(a) canalha que não tem opinião própria, que deseja agradar a todos ao mesmo tempo, sem tomar nunca uma posição. O Brasil está cheio deles, são os famosos “zés-do-muro”. Pessoas sempre capazes de dar opinião, sem tomar partido ou se comprometer, sobre qualquer assunto. O demagogo é, em última instância, uma elevação do puxa-saco de escritório, do ASPONE (“assessor de porra nenhuma”) que cresce bajulando a tudo e a todos. 

 

Durante algum tempo acreditei que a verdade e a sinceridade seriam a tônica com a ascensão do movimento conservador no Brasil. Mas, o costume deixa mesmo raízes. Bastou a morte de Ricardo Boechat, e eis que um turbilhão de manifestações dos ditos “conservadores”, todas muito respeitosas e elogiosas, tomaram a internet. A matemática deles é simples: “Boechat era popular, logo, temos de ser favoráveis, mesmo quando ele era contra tudo o que acreditamos…”

Então lhes pergunto: pessoas que corrompem suas opiniões não haverão de se corromper de outras formas? Pois demagogia é exatamente isto: a corrupção da verdade, a omissão da opinião, o ocultamento da realidade, visando angariar a “aceitação”, o “voto”, o “apoio”.

Boechat, muito além das aparências.

Ora, vamos REFRESCAR A MEMÓRIA, sobre a vida de Boechat?

PRIMEIRAMENTE, esse cidadão que cantava aos ventos ser favorável à operação lava a jato, será que ele tinha mesmo moral para falar sobre lisura e combate à corrupção?

Para quem não sabe, BOECHAT foi DEMITIDO da Rede Globo em 2001, após um escândalo em que, segunda a revista veja (ver reportagem aqui), ele teria VENDIDO UMA MATÉRIA para FAVORECER UM GRUPO EMPRESARIAL. Ou seja, ele faria uma “reportagem” para favorecer empresas, vendendo ao cidadão que aquilo era verdade.

 

Além dessa questão de ÉTICA, Boechat também perseguia cristãos de modo grosseiro, como quando mandou SILAS MALAFAIA “…ir procurar uma ROLA…”, entre outras ofensas veiculadas em rádio. Vejam abaixo:

 

 

Ainda no campo da POLÍTICA e da ÉTICA,  Boechat PERSEGUIA ofensivamente outros repórteres dos quais ele discordava, como quando chamou Rachel Sheherazade de “fascista”. Algo típico de esquerdistas.

 

 

E não nos esqueçamos dos ataques de Fúria e desrespeito para com colegas de trabalho:

 

 

Sem falar no ataque à polícia militar, como quando chamou a PM DE SÃO PAULO DE IDIOTA. São essas atitudes de um típico esquerdista que não podem passar desapercebidas. A Polícia Militar merece nosso respeito e nosso apoio, e Boechat, mais uma vez,  mostrou sua verdadeira cara:

 

 

É preciso lembrar que Boechat fazia uma defesa desavergonhada de Lula, mesmo com todos os escândalos, tendo criticado os movimentos dos cidadãos brasileiros que iam às ruas lutar contra a corrupção e impunidade:

 

 

Claro, quando o barco afundou completamente, Boechat debandou para o lado de TODOS, pois a situação era já insustentável, mas não nos esqueçamos que Boechat defendia DILMA, MESMO após o Impeachmeant, alegando que se trataria de um “GOLPE” por parte de quem perdeu…

 

 

Resumo:

Todos podem acompanhar meus posts, e constatar que na data da morte preferi me silenciar. Não comemorei o fato, mesmo encarando Boechat como um inimigo político. Porém não usei os litros de óleo de peroba que diversos ditos “conservadores” usaram, ao fazer “posts bonitinhos”, elogiosos, tentando ganhar pontos da maneira mais demagógica, mentirosa e nojenta possível.

É preciso ter um pouco de dignidade opinativa, de verdade. O povo está cansado desses demagogos politicamente corretos que tentam agradar a todos, sem se comprometer com ninguém. Ora, hoje elogiam ex-adversários, o que farão amanhã? Pedirão votos e se comprometerão com a esquerda?

Um inimigo do movimento conservador morreu. Nada a comemorar, muito menos a exaltar. Todos teremos o mesmo destino. Que tenhamos ao menos a honra de sermos verdadeiros enquanto vivos.

Por uma política com mais verdade e menos demagogia.

Não choro pela morte de meus inimigos. Parem de "mi-mi-mi" e DEMAGOGIA. A pessoa morre, e vira santa? Não desejo a morte de ninguém, mas não vou jogar flores, só por ter morrido. Estou cansado de HIPOCRISIA !

Posted by Direita Livre on Tuesday, February 12, 2019

 

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, é presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

 

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: