Folha de São Paulo à beira do fechamento: Diretora de Redação é destituída

Maria Cristina Frias

A Folha de São Paulo trocou nesta segunda-feira, (18), seu comando editorial. A família proprietária do jornal esquerdista se encontra em meio a uma disputa entre irmãos da família Frias, algo que reforça as suspeitas sobre  a saúde financeira do Jornal. 

A Folha, juntamente com outras grandes mídias, tem sentido o impacto do “enxugamento” dos investimentos bilionários feitos pelos governos anteriores e que, sob a gestão Bolsonaro, deixaram de existir.

Bolsonaro, que foi eleito pela ‘mídia alternativa’ (redes sociais), simplesmente crê ser desnecessário tirar dinheiro do povo para investir nos antigos canais de comunicação, que antes dominavam a cena brasileira.

Maria Cristina Frias, estava no cargo de diretora de redação, no lugar de seu falecido irmão, Otávio Frias Filho. A destituição ocorreu a mando de seu irmão mais novo, Luiz Frias. O jornalista Sérgio Dávila assumiu o posto.

A disputa familiar, muito possivelmente chegará à Justiça, e pode colocar em risco a sobrevivência do Jornal, que está em meio a uma tentativa de reestruturação societária do Grupo Folha, visando tornar o empreendimento “mais rentável”.

Sem a grana do governo, somente as mídias mais profissionais sobreviverão. A exemplo do que ocorreu com outros jornais pelo mundo, que também sentiram o impacto da internet, a Folha passa por grave momento.

Na dúvida, já estou reservando uma garrafa de champanhe.

 

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: