BOMBA: É MENTIRA que Greenwald ganhou prêmio Pulitzer. #PulitzerdeTaubate

 

Vexame monstruoso. Glenn Greenwald (aquele carinha que saiu dizendo que Moro é “parcial” com base em Hacks), que em diversos sites é aclamado pela mídia esquerdista como “vencedor do prêmio Pulitzer” (uma espécie de “Oscar” de jornalistas), na verdade jamais ganhou o prêmio. Segundo todos, tal “prêmio” teria sido dado a ele em 2014.

Porém, basta acessar o próprio site Pulizter e verificar que quem REALMENTE ganhou o prêmio foram:

Veja com seus próprios olhos aqui:

https://www.pulitzer.org/prize-winners-by-year/2014

Ou seja, na categoria de JORNALISTAS, quem ganhou foram as pessoas acima, nos assuntos relacionados àquilo que alardearam Glenn Greenwald (verdevaldo) ter feito.

Quem REALMENTE ganhou um prêmio pelas descobertas de SNOWDEN, foram os JORNAIS The Guardian US e o The Washington Post, num dos quais Glenn Greenwald trabalhou.

É mais ou menos como o Carrefour ganhar o prêmio de melhor supermercado, e um dos atendentes sair por aí dizendo (ou permitindo que digam) que ele ganhou o prêmio de melhor atendente.


Clique agora no ícone abaixo, e apoie o Direita Livre.

Ajude-nos a derrotar o esquerdismo no Brasil.


 

E, na verdade, Glenn Greenwald foi PARTICIPANTE ATIVO NESSA FARSA, pois pode se observar no vídeo abaixo (salvamos, antes que apaguem) que ele participou de reportagem como “”VENCEDOR DO PRÊMIO PULITZER” na canal americano CNN. Ou seja, sequer poderá dizer que “alguém errou ao me dar o prêmio”, ele simplesmente participou ativamente da FARSA, clamando para si um prêmio que pertence a um Jornal, e não a ele.

Veja a FARSA VERGONHOSA:

 

Agora observe a chamada da CNN no vídeo:

"Reação de Greenwald ao vencer o Prêmio Pulitzer" - Sério? Nem o pessoal do Pulitzer sabia disso...
“Reação de Greenwald ao vencer o Prêmio Pulitzer” – Sério? Nem o pessoal do Pulitzer sabia disso…

 

E nem há como Gleen Greenwald afirmar que “não sabia” que toda a esquerda estava atribuindo, indevidamente, a ele o prêmio Pulitzer. Nesse mesmo vídeo, o entrevistador afirma:

 

“…e na última segunda, Greenwald e seus colegas do The Guardian, onde ele trabalhou no último ano, dividiram o maior prêmio Pulitzer de todos…o prêmio por “Serviço Público” (1:19 do vídeo)

 

E, em seguida, Greenwald, sem piscar, não faz qualquer correção, onde deveria ter indicado que em realidade o prêmio não é PESSOAL, mas INSTITUCIONAL, e pertence ao THE GUARDIAN. Os que realmente venceram os PRÊMIOS INDIVIDUAIS, como jornalistas, foram as pessoas acima indicadas.

O vídeo é de 2014, e jamais foi corrigido, tendo sido a fonte de diversas “alterações no currículo” de Greenwald, em sites esquerdistas pelo mundo todo. Mas, se sequer durante a entrevista houve correção. E sequer Greenwald se preocupou em checar o título do vídeo após sua publicação (“Reação de Greenwald ao vencer o Prêmio Pulitzer” )… Tudo o que fez foi “faturar” com base numa farsa, que nasceu dessa entrevista, “engordando” artificialmente seu currículo. 

O que ocorreu na carreira do jornalista, em seguida, foi o efeito gado (ou bandwagon, em Inglês). Diversos outros prêmios (menos importantes), copiando a “honraria” (falsa) recebida, lhe foram conferidos. Muito possivelmente por ter ele “recebido o prêmio Pulitzer”, o que jamais aconteceu.

 

É esse o “jornalista isento” e com “ética”, que tem moral para falar  sobre o HACK CRIMINOSO feito contra Sérgio Moro?

 

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é católico apostólico romano, advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: