Assistentes da Google e Apple (Siri) são machistas, diz Folha de São Paulo

A grande vantagem de ser Direita e Conservador é que você economiza muito com ingressos para show de humor, pois a esquerda é uma fonte infinita de piadas. A mais recente delas está retratada no título acima. E, sim, é verdade, segue o link:

https://noticias.uol.com.br/tecnologia/noticias/reuters/2019/05/22/assistentes-de-voz-sao-sexistas-diz-relatorio-da-onu.htm

 

Vejamos aqui a síntese do pensamento genial:

“A submissão da Siri ao abuso de gênero –e a servilidade expressa por tantos outros assistentes digitais projetados como mulheres jovens– fornece uma ilustração poderosa das tendências de gênero codificadas em produtos tecnológicos”

 

Em outras palavras, um robô não pode obedecer e ser submisso. Quando você mandar ele fazer algo, e por ventura tiver voz feminina, ele deverá responder com algo como:

a) “vá á merda, faça você mesmo”;

b) “só porque você falou não vou fazer” ou

c) “seu machiiiista, misógeno, eletricista….”.

Ou talvez o robô deva fazer exatamente o contrário do que você pediu. Afinal, trata-se de uma voz feminina, e ela não pode obedecer ninguém…

Acho que se daqui a uns séculos (disse “se”, pois desconfio que a humanidade se destruirá em breve…) um historiador olhar para este atual período mimizento, não será sob o aspecto cômico, mas pelo psiquiátrico…

 

 

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: