Category Archives: Crítica

A martirização de Bolsonaro e o despertar da Direita

“FILHO DA PUTA ! VOCÊ É UM MERDA”. Imagine ser injustamente agredido, do nada, por uma pessoa que há tempos lhe persegue de forma impiedosa e cruel. Qual seria sua reação? Pensaria em palavras lindas ou quem sabe numa frase “politicamente correta” que não agredisse nenhuma possível minoria ou sentimentos de qualquer um dos bilhões de habitantes do planeta Terra?

O que ocorreu com Bolsonaro foi exatamente isso.

Ora, analisemos, qual o objetivo de um insulto? Atacar toda uma coletividade? Incitar ao crime? Ou agredir um indivíduo ? Ou reagir, como no caso, a uma agressão? Qual o objetivo de Bolsonaro? Incitar todos os brasileiros a saírem por ai estuprando? Ou insultar sua agressora dizendo que ela era tão feia que nenhum estuprador iria desejá-la?

É claro que isso não passa de um teatro imundo do qual são agora partícipes a corrupta imprensa comunista  e o próprio STF. E as justificações são as mais ridículas. Mas se trata de prejulgamento. A sorte de Bolsonaro já foi decidida tempos atrás. Se Bolsonaro tivesse xingado sua agressora de “Filha da Puta”, por exemplo, haveriam comissões e sindicatos de prostitutas chorando aos pés do STF, pedindo para que seus nomes não sejam mais usados em palavrões, afinal, é politicamente incorreto. E ele seria cassado ainda assim.

O fato é que Bolsonaro é perseguido implacavelmente por pensar diferente da maioria esquerdista. Ele foi insultado por ser heterossexual, anti-marxista e cristão. E se o STF tem a coragem, a cara-de-pau de aceitar um processo, com base em que um INSULTO INDIVIDUAL pode ser interpretado como um ataque coletivo, então por qual razão não processam a agressora, pois todos os heterossexuais, anti-marxistas e cristãos do Brasil, como eu, também foram agredidos?

Bolsonaro tem sido agredido, atacado em sua honra, cuspido e a SUPREMA CORTE COMUNISTA (vários de seus integrantes são de clara orientação marxista e estiveram envolvidos apoiando movimentos socialistas/comunistas) decide que ele é quem merece ser processado. Alguém tem dúvidas quanto ao resultado?

Entre tantas vergonhas nacionais, esta é apenas mais uma, e demonstra a necessidade de uma profunda alteração no judiciário brasileiro. Em especial no STJ e STF, que deveriam ser simplesmente extintos.

Mas não se engane o leitor. Tais movimentos de judicialismo fascista tem ocorrido no mundo, agora que a Direita se levanta na luta contra o totalitarismo do “politicamente correto” e do estatismo.

Nos Estados Unidos, bastou Trump vencer (uma surpresa, ou teriam tentado derrubá-lo antes) e diversas tentativas de um golpe de estado judicial já foram feitas (como ligar Trump a “ataques russos” pela internet contra Hillary – quando o Wikileaks acaba de provar que era Obama quem mandava atacar os EUA para simular isso).

Na França, inicialmente, ao se ver o crescimento da candidata de Direita, Marine Le Pen, tentaram dizer que os “Russos” (sempre eles) estavam alterando a eleição (lavagem cerebral à distância?). Como ficou ridículo, agora usaram como desculpa o fato da candidata francesa da Direita ter postado uma foto de violências praticadas pelo Estado Islâmico. Irão processá-la pois ela estaria, ao mostrar fotos e divulgar a barbárie dos terroristas, “incitando à violência”… Alguém vê algo parecido ocorrendo aqui? Coincidência?

Não há coincidências quando se trata de ações comunistas pelo mundo.

Porém, este humilde conservador está tremendamente feliz com mais essa patetice jurídica e perseguição.

Marés de jornalistas corruptos e “formadores de opinião profissionais” têm se esforçado para “apoiar” mais esta perseguição a Bolsonaro, por mais ridículas e embaraçosas que sejam suas explicações. E tudo isso apenas torna as coisas ainda mais evidentes.

O fato é que a Direita tem sido oprimida, sufocada e perseguida implacavelmente há décadas ante o “unipensamento” (somente ele é aceitável) dos socialistas/comunistas. A perseguição, antes velada e agora aberta, tem produzido nos defensores da liberdade e do capitalismo um sentimento de união e revolta que jamais existiu, comparável ao sofrido pelos cristãos por perseguição dos ateus romanos, no início do cristianismo.

Para a esquerda (como sempre historicamente foi), qualquer um que pense diferentemente merece a morte. E como a mídia e os “donos da verdade” não podem nos matar (não a todos), então nos matam existencialmente. Uma morte existencial em forma de censura, humilhação pública, perseguição, uso espúrio do judiciário. É proibido ser Direita, ser conservador, ser capitalista ou ser cristão. Qualquer pensamento ou ação que não seja “progressista” (e destruidor da família, liberdade e capitalismo) é automaticamente digno de perseguição implacável e humilhação, com direito a ser xingado e cuspido, ante a inação total de um judiciário podre, que assiste imóvel o fascismo vermelho surgir, pois lhe convém.

A perseguição desumana e cruel a Trump despertou o povo americano e o levou a vitória. Aqui, a cassação ou impedimento eleitoral de Bolsonaro será bem-vinda a todos nós conservadores, pois escancarará o fascismo em que vivemos, e nos unirá rumo à vitória final.

Podem cassar a Bolsonaro, mas não podem caçar um ideal.

Venceremos.

Iran Porã Moreira Necho

Visite nosso grupo no facebook:

https://www.facebook.com/groups/direitalivre/

UMA VITÓRIA CONTRA INDÚSTRIA DO CRIME E DOS RECURSOS PENAIS

corruptos


O Brasil sempre teve “2 códigos penais” e “2 constituições”. Um primeiro conjunto de garantias e leis para a quase totalidade dos brasileiros e um segundo para corruptores, abastados e “criaturas do poder”.

Para os comuns, não era necessário sequer condenação. Já iam presos, e lá ficavam nas masmorras sujas por anos, à espera de um julgamento.

Para os da “casta superior”, havia muito mais que uma “presunção de inocência”, havia uma “presunção de intocabilidade”, pois podiam pagar milhões para certos advogados se valerem de dezenas de recursos até que suas penas prescrevessem.

Era uma vergonha nacional, onde assassinar mulheres ou matar milhares de idosos por lhes ter roubado os recursos passava impune, enquanto os “comuns” amargavam anos na cadeia por pequenos furtos em supermercados.

É óbvio que certos “mestres do direito penal” vão usar das mais estapafúrdias desculpas para defender os milhões que ganhavam com a indústria dos recursos penais, pois não poderão mais “vender impunidade” para os abastados e filhos do poder.

É óbvio que alguns pretenderão, “pelo menos”, garantir que a condenação não ocorra senão após decisão do STJ, pois assim o “prejuízo seria menor”. E ainda seria possível vender algum serviço de “enrolação processual recursal”, visando a prescrição da pena e a impunidade, quem sabe com a ajuda de alguma autoridade mais morosa ou atarefada.

Mas o fato é que somente pode se falar em “Direitos” quando estes são IGUAIS para todos. E se, efetivamente, TODOS tivessem tal “direito” de somente ser preso após quase 20 anos? Que tal direito fosse dado aos estupradores, pedófilos, sequestradores, latrocidas, tal qual é dado aos corruptos deste país?

E, se alguém em sã consciência tiver a face coberta de óleo de peroba ao ponto de dizer que corrupção é um “crime menor”, respondo que defendo uma nova constituição, com pena de morte exatamente para estes 3 crimes: corruptos, pedófilos e estupradores. E apenas estes. Pois seus perpetradores não merecem caminhar sobre a face da terra. Que Deus os perdoe, ou o diabo os acolha. Mas que a guilhotina arranque suas cabeças.

E, acredito, muitos brasileiros compartilham da mesmíssima opinião.

Infelizmente, a maioria dos periódicos e pessoas comuns não analisa os interesses por trás das “opiniões técnicas”, que de “técnicas” possuem quase nada.

E menos ainda se questionam os ganhos de certas organizações de “Diretos humanos”, que jamais se lembram das vítimas, humanas também.

Felizmente, ainda que tardiamente, tivemos uma luz no fim do túnel. Uma esperança de uma justiça realmente justa. Onde os assassinos de colarinho branco possam finalmente pagar por seus crimes. E a instituição da impunidade, enquanto produto vendável, possa ser finalmente derrotada ou, pelo menos, diminuída em nossa Pátria.

Viva o Realismo Penal. Que os juristas românticos se dediquem a escrever novelas e que os vendilhões da impunidade passem fome.


Brasil, acima de tudo.


Iran Porã Moreira Necho

 

Visite nosso grupo no facebook:

https://www.facebook.com/groups/direitalivre/

Brasil, país do passado.

Brasilpaisdopassado

Claro, o título ironiza Stefan Zweig (autor de “Brasil, país do futuro). Mas nada mais triste que a constatação da propriedade dele. Vivemos andando para trás. Em particular, graças à propaganda petista/socialista/esquerdista que, para cada erro, corrupção e ‘dólar na cueca’ do presente, insiste em jogar a culpa em alguma outra coisa ou alguém, de preferência no passado.

Se abstraí do fato de que grande parte da infraestrutura mais vital do país foi construída no regime militar. Se abstraí do fato de que o chamado ‘golpe’ de 1964, em realidade foi um ‘contragolpe’, pois Jango claramente visava tornar-se o ‘Fidel’ tupiniquim, criando instabilidades, insurreições e ódio entre classes, numa receita que vemos repetida nos dias de hoje. Tanto na Venezuela, quanto cada vez mais no Brasil.

Os livros de história, agora escritos por socialistas/esquerdistas do PT/PSOL e outros mais, apagam Jesus Cristo, os Gregos, a Europa. Apagam também os feitos de nossos bravos da FEB na Europa, na luta contra a tirania nazista. E retratam cada guerrilheiro(a) assassino e sequestrador como “herói”, classificando aqueles que combateram o comunismo, que deram a vida pela Pátria (e morreram pobres, frise-se…) como ‘torturadores’ e perseguidores sem razão.

Mas um fato é inegável: Quando a história é escrita por lobos, os cordeiros já nascem culpados…

E cada um de nós, agora, é tornado ‘cordeiro’. Estamos errados pelo cristianismo. Estamos errados por crer que o trabalho honesto deva ser a única fonte de riqueza. Estamos errados por crer que o comunismo/socialismo só ‘distribui’ riquezas para membros de partidos. Estamos errados por denunciar políticos (e seus filhos) que ficam bilionários da noite para o dia (ante a ‘cegueira’ conivente e seletiva da justiça…).

Nós, o povo cordeiro, levado ao altar do sacrifício pelos lobos esquerdistas, estamos todos errados. E se nenhum de nós puder ser culpado dos desvios e roubos esquerdistas, com certeza algum de nós, no remoto passado, deve ser culpado. Como naquela fábula do lobo e o cordeiro de Monteiro Lobato.

Enquanto isso, um exército de corruptos lobos ‘artistas’, ‘intelectuais’ e ‘cantores’, segue vomitando o mantra para o qual são pagos para repetir: “Brasil, país do futuro…Brasil, país do futuro…Brasil, país do futuro…”. Como se o presente não nos fizesse invejar o passado, e o futuro não nos fizesse desejar um outro presente.

Até quando?

 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO

 

Visite nosso grupo no facebook:

https://www.facebook.com/groups/direitalivre/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O PT E A MALDIÇÃO DE PIRRO

Muito se ganha com a ambição, mas tudo se perde com ela. Tem sido assim na história, muito antes da vitória de Pirro, e muito depois. Mas é sob o signo de Pirro que vivemos os dias atuais.

É o caso do “PTMDB” (o partido real que engloba as siglas PT + PMDB, e que já foi “PSDMDB” e será tantas outras coisas no futuro…).

Quanto ao PT, vítima de sua típica arrogância lulista, este entende que conseguirá barrar o impeachment na nascente, ainda na manipulação da comissão. Porém “Pirro” pode atacar tais pretensões, se o recesso jogar a votação para o ano que vem quando, muito provavelmente, a situação econômica terá se degradado ainda mais. E o povo estará, após as festas, de ânimo redobrado para manifestações. É pouco provável que mesmo os membros mais fiéis do “PTMDB” queiram sacrificar as carreiras em nome de um moribundo, em especial se houver clamor das ruas. Em especial por se tratar de ano eleitoral.

Além disso, cabe a inocente pergunta: O que poderia o PT oferecer a tais membros do PMDB que o próprio PMDB não poderia oferecer, se um de seus membros (Temer) assumisse a presidência? Mistério…

Já o PSDB, fechou com Temer. E toda a oposição. Resta a dúvida sobre o PMDB, em especial àquele PMDB ligado ao inexperiente mas ambicioso Leonardo Picciani, que sonha com o canto da sereia petista, assim como Cunha um dia sonhou. O que será mais valioso que sua carreira, a ponto de apoiar uma nau à deriva? O fato é que, ante a cegueira para se tornar o novo presidente da casa, Picciani tenha se esquecido de que é preciso ser deputado para continuar nela…

Porém eu disse que “Pirro” é um signo que paira sobre estes dias. E é fato.

Ocorre que todos se esquecem que, além do Impeachment, o PT/Dilma/Lula enfrentam problemas eleitorais/judiciais, com a possibilidade de cassação da chapa vencedora de 2014. Se isso ocorresse, teríamos uma “maldição de Pirro” qualquer que fosse o resultado. Vitória do PT na comissão? Vitória pírrica. Vitória de Temer com a cassação? Vitória pírrica.

E isso, na melhor das hipóteses. Pois, no caso dos que empenharem sua carreiras defendendo a lama, uma cassação via TSE corresponderia a um sacrifício inútil. E às vésperas de (ou em pleno) ano eleitoral.

Ademais, em que pese em convocada em cima da hora, a manifestação de 13 de dezembro pode ainda reforçar a pressão pelo impeachment, e será crucial como termômetro, caso a votação ocorra ainda este ano.

A sorte está lançada. Ou má sorte, dependendo do ponto de vista.

 

Iran Porã Moreira Necho

 

Visite nosso grupo no facebook:

https://www.facebook.com/groups/direitalivre/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Diplomacia do Aço: Como o exército calou Maduro e Morales.

Não faz muito tempo, os presidentes Evo Morales (Bolívia) e Maduro (Venezuela), ao tentar defender o PT e Dilma Roussef, deram declarações ameaçadoras à soberania do Brasil. Sendo a mais grave aquela feita por Morales, ao afirmar que “…Se tiver golpe (impeachment) no Brasil vamos atacar com nossas forças armadas…”.

Inicialmente ridicularizado, em razão do aparentemente pequeno poderio militar boliviano, muitos se esquecem de que a Bolívia faz parte do chamado “grupo bolivariano”, que é composto por Venezuela, Equador, Nicarágua e Bolívia. Grupo que possuí suporte militar cubano e russo…

A Venezuela, por exemplo, tem larga vantagem em relação ao Brasil no que diz respeito a defesa terra-ar (aliás, o grande “calcanhar de aquiles” brasileiro). Enquanto a Venezuela possui até mesmo mísseis de longo alcance, como os S-300 russos (abate aviões a até 150km de distância), ou ainda os “S-125 Pechora” (cerca de 35km de alcance) o Brasil sequer possui um único míssil de médio  alcance para defender seus cerca de 16.000 km de fronteiras terrestres.

 

s300_rian

Low-Blow-Pechora-2M-Mobile-1S

S-125

 

Tudo o que temos se restringe a um punhado de MANPADS (pequenos mísseis disparados do ombro por soldados) como o IGLA (SA-18 e SA-24), que tem meros 5km de alcance e apenas 3,5km de altura (um SU-30MKK Venezuelano pode voar a 17,300 m de altura…) e, mais recentemente, a míseros 12 a 16 sistemas suecos RBS-70 (também de curto alcance). Em suma, nunca se pensou em defesa aérea em “multicamadas” no Brasil. E hoje, uma vez neutralizados nossos caças, ficaremos totalmente vulneráveis, uma vez que os poucos gepard existentes se destinam, também, a defesa de curto alcance.

 110717-N-3927-123

RBS 70

SA-24-igla-S

Igla SA-24

 

Tenho visto muitos pilotos brasileiros comentarem, talvez por ingenuidade, que a “dobradinha” EMB R-99 + F-5M seria capaz de “segurar” os SU-30MKK venezuelanos. Pois os F-5M voariam “apagados” (radar desligado) e receberiam por datalink com o R-99 a posição dos SU-30 , podendo disparar seus mísseis BVR antes de serem detectados. Nada mais pueril. O voo de um ZDK-03 até a Venezuela demora menos de 1 dia (compra de urgência). Lembrando que a Venezuela já opera o Y-8 (no qual o ZDK-03 é baseado), de modo que adquirir um ZDK parece o natural, pois pulverizaria essa “vantagem” brasileira, uma vez que o radar do ZDK-03 é um AESA ainda mais potente que o Erieye usado no R-99 brasileiro.  Isso, claro, na hipótese do potentíssimo radar dos SU-30 (190 km de detecção aérea) realmente não conseguir “enxergar” um F-5M “apagado” a tempo e o abater com seus mísseis R77 (até 110km de alcance)…

CETC-ZDK-03-AEW+C-Karakoram-Eagle-2

ZDK-03

 

No imaginário Venezuelano (segundo observei de vários fóruns de língua espanhola), uma eventual guerra com o Brasil se daria por ar, onde os Bolivarianos teriam larga vantagem pois, uma vez neutralizados nossos 43 caças F-5M, os modernos caças russos SU-30, bem como seus F-16 de origem americana, poderiam voar impunemente sobre os céus do Brasil, desde que a média ou alta altitude. Em contrapartida, suas baterias de mísseis S-300, S-125, bem como ainda os BUK tornariam “inviável” uma incursão aérea brasileira na Venezuela/Bolívia.

 

431px-Buk-M1-2_9A310M1-2

Sistema de defesa antiaérea BUK

 

Isso porque, além de terem superioridade aérea, a distância de suas fronteiras para os grandes centros militares brasileiros (a região sul concentra a grande maioria de nossa força de blindados) inviabilizaria, teoricamente, um rápido contra-ataque por terra do Brasil. Seria como, numa comparação, atirar de estilingue num inimigo em campo aberto, enquanto se abriga atrás de um muro. O “estilingue” representaria a superioridade aérea e o “muro” a própria “defesa natural” que inviabilizaria um contra-ataque terrestre eficiente, por questões logísticas.

Logo, a “ameaça bolivariana” feita por Morales deve ser levada a sério. E foi.

Por coincidência (ou não), a resposta “diplomática” das FFAA brasileiras já estava a caminho. A estratégia do “estilingue atrás do muro” foi derrubada.

Sem alarde, o exército brasileiro pôs em campo duas operações militares: I- operação Bormann (10 e 23 de outubro de 2015), onde se realizou testes de grande deslocamento de blindados por via ferroviária de SC até o PR; II- uma segunda operação, finalizada em 29/09/2015, que sequer recebeu nome (chamei de “As portas abertas da Venezuela), onde, pela primeira vez na história, foi feito o deslocamento de um tanque pesado por rio até a fronteira da Venezuela (link do facebook do exército brasileiro).  E, como diz o popular, “…onde passa um boi, passa uma boiada…”.

 

 

Uma ilustração vale mais que mil palavras.

 

portas_da_venezuela_abertas3

Estas duas singelas operações criaram uma variável nova no tabuleiro das possibilidades Bolivarianas, pois as baterias de defesa antiaérea venezuelanas poderiam ser neutralizadas por um mix de ataque terrestre em conjunto com uso de mísseis MAR-1 brasileiros e baterias de ASTROS. Fato que, ainda, coloca Nicolás Maduro em “barbas de molho” com relação a suas ameaças de atacar a Guiana.

Mas a “diplomacia do aço” não parou por aí. Ainda na mesma época ocorreram as operações: I- operação de ataque “Formosa 2015”, com adestramento de fuzileiros navais e, coincidentemente, o uso do ASTROS em conjunto com o jato AF-1  e II- operação “Príncipe da Beira”, exatamente às portas da Bolívia… (links do exército brasileiro).

A inteligência e sutileza de nossas FFAA devem ser aplaudidas e o desenrolar dos fatos servem para mostrar que os moços não estão “dormindo”, ao contrário do que dizem alguns. Porém, serve mais uma vez para denunciar nosso “eterno calcanhar de aquiles” (defesa terra-ar), fato que vem sendo criticado por mim há anos, desde os tempos em que era redator do www.aestrategia.com (hoje defunto). Claro que os recursos são escassos e, pior que isso, inconstantes. Mas evitar a supremacia aérea (segundo a NATO, corresponde a”…degree of air superiority wherein the opposing air force is incapable of effective interference…”) ao inimigo é vital para qualquer país, mormente um de dimensões continentais.

Em que pese isso, ponto para os estrategistas nacionais.

 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO

visite nosso grupo no facebook:

https://www.facebook.com/groups/direitalivre/

 

P.S: SOBRE O FILA- Alguns criticaram a ausência de comentários sobre o sistema de defesa aérea de ponto FILA EDT da Avibrás, porém o mesmo cai na mesma questão de ser um sistema de defesa de baixa altura. O sistema fila foi decorrente da compra, feita pela Avibrás, de um projeto da antiga Oerlikon Contraves (comprada pela Rheinmetal) para produção local. A EDT (estação diretora de tiro) usa de canhões AA Oerlikon do modelo GDF-001 (versão inicial, de 1959, com baixa qualidade de controle de tiro), do qual o Brasil possui cerca de 38 unidades com sistema ótico XABA (apenas operação diurna), bem como outras 24 unidades do canhão Bofors 40mm. A EDT possui cerca de 15km de alcance (mas o canhão GDF-001 em si, tem alcance teórico de 4.000m) e corresponde a um Super Fledermaus/Skyguard fabricado localmente.

 

 

 

Porém, apenas a título de comparação, a Venezuela possui cerca de 300 canhões ZU-23-2 para um território muitíssimo menor que o Brasil. A versão venzuelana corresponde à mais moderna:  “ZOM-1-4” de operação elétrica, que incorpora computador de tiro, sistema de mira atualizado com telêmetro laser, câmeras de TV e visor infravermelho.

 

zu-23-2_23mm_anti-aircraft_twin-barreled_automatic_canon_Russia_Russian_army_002

Canhão Zu-23-2

 

Existe um kit que permite fazer upgrade das Oerlikon para a verssao GDF-005 (com sistema autônomo de mira e outras melhorias), ou ainda, com mais investimentos, fazê-las usar munição AHEAD (Advanced Hit Efficiency And Destruction), porém o número ridículo de 38 unidades  é “o problema”.